Brasileiro

O que tem no Laos?

Minha mãe está mostrando as últimas fotos que eu postei para o meu pai e segue o diálogo:

_ Nossa, é lindo! Onde é isso?

_ No Laos _ ela responde.

_ Não, mas em que país? _ ele continuou curioso.

_ Ué, no Laos!

_ Eu nem sabia que existia esse país! Sei lá onde fica!

Pois é, parece que a grande maioria das pessoas não sabe nem dizer se o Laos é animal, vegetal ou mineral. Eu mesmo só fui descobrir onde ficava quando estava com o mapa aberto tentando planejar uma rota de viagem que fizesse algum sentido, e lá estava ele quase esquecido entre a Tailândia e o Vietnam.

E olha, não me arrependi de ter encarado 28 horas na pior aventura de ônibus que eu já tive na vida saindo de Hanoi para chegar lá. Tem cachoeira, caverna, ponte que parece que vai cair, lagoa azul, boliche na madrugada, feirinhas de artesanato legitimas, passeio de boia no rio, monge passeando pela rua, templo, e Buda, muito Buda, Buda para dar e vender. Acho que rivalizando com os Budas, só mesmo a quantidade de brasileiros. Para um lugar que ninguém ouvi falar e muito menos sabe onde fica, ainda estou tentando entender como encontrei tantos conterrâneos naquele lugar.

Estou eu tentando apreciar o pôr do sol no templo lotado em cima da montanha com vista para o rio, e, enquanto reclamo dos turistas chineses que sismam em estragar minhas fotos, eis que aparece um mineiro. Descemos as escadas do mesmo templo conversando animadamente em português e então surge um casal de São Paulo. Estamos olhando as quinquilharias na feira de rua e trocamos umas palavras com mais um casal enquanto um grupo de quatro meninas tenta se decidir por qual echarpe comprar. Estamos fazendo cara de paisagem no bar só para usar um pouco o wifi mesmo sem consumir, e olha aí mais dois casais. Estamos quase respirado com a ajuda de aparelhos depois da subida até a caverna e pronto, outro paulista. Estamos dando um mergulho na lagoa e tcharam, uma gaúcha. Estamos fazendo nada no hostel esperando pelo horário do ônibus, e dessa vez, dois cariocas.

Mas o prêmio de melhor interação inesperada com brasileiros com certeza vai para a dupla Gabriel e Gabriel. Eu, sempre a fotógrafa, estou procurando um ângulo descente sem muitas pessoas ao fundo para registrar a minha amiga fazendo pose de sereia no meio da cachoeira. Só que as coisas estão difíceis e eu aviso para ela:

_ A foto iria ficar perfeita se aquele cara saísse dali!

E é claro que o amigo dele está bem ao meu lado, ouve isso e diz:

_ Quem? Aquele ali? Ô, Gabriel, chega pra lá pra menina aqui tirar a foto!

Pelo menos conseguimos a foto do jeito que queríamos e no fim das contas, descobrimos que no Laos, além das cachoeiras, das pontes e dos Budas, também tem muitos, mas muitos brasileiros.

Anúncios