O que eu (não) estou disposta a fazer na internet por dinheiro

Um belo dia, para variar, estava eu vagando sem rumo pela internet a fora, quando me deparei com a pergunta “O que você faria com seu computador para ganhar uma mesada de R$5000,00 durante um ano?”. Minha mente começou a trabalhar freneticamente no mesmo instante, afinal não é qualquer dia que alguém se dispõe a te pagar um salário desses sem ter que prestar concurso público nem ter curso superior. Aí é que, antes de pensar em o que eu faria, eu comecei a pensar em tudo que eu me recuso a fazer com meu computador para faturar.

Para começar, eu nunca faria um vídeo de “bêbado dramático” e colocaria na web, não importa se eu tivesse quebrado meu dente ou só chateada porque ninguém me cutuca no Facebook. Nunca iria me filmar fazendo receitas inovadoras de sanduiche (rolam boatos que a mestre puta cuca que fez essa proeza é da minha terra, que vergonha…) nem falando mal de meio mundo (meu repertório de reclamações e xingamentos não é tão extenso assim e meus dois olhos apontam numa mesma direção).

Pela falta de talento musical e de vida social, também nunca iria tentar emplacar um sucesso sobre as minhas noites de sexta-feira. Pela falta de coordenação motora e graças a uma leve claustrofobia, coreografias com máscara de personagem também estão fora de cogitação. Além disso, eu gosto muito de Liztomania para estragar a música com meus passinhos desengonçados.

Fazer exposição da figura também não dá, o tio Ali cansou de dizer que isso só leva as pessoas ao mármore do inferno e eu é que não quero acabar jogada no vento! Sem contar que com o meu sex appeal de uma mula manca eu não iria atrair muito público mesmo…

Depois de tanto pensar acabei chegando a uma triste conclusão: estou invariavelmente condenada a uma vida de professora pobre e anônima.

2 comentários

  1. Otimo Post. Bom se alegre, pois voce ser anonima, mas tem meu reconhecimento🙂

    Se mais pessoas penssasem como voce, evitando o ridiculo, apesar de ser cliche, acredito que a sociedade seria melhor, … muito melhor!

  2. #Desculpe, erro comum de um iniciante, mandei comentário incompleto#

    Gostei da parte, ‘condenada a uma vida de professora pobre e anonima’.

    Mesmo por ter dito, que tem meu reconhecimento. Gostaria de completar, e dizer que por você ser ‘Professora’ deveria não ser uma pobre e nem anonima, mas sim ter reconhecimento, tanto pelas pessoas a sua volta, como seus alunos, e ter igualdade salarial e ate mais que muitas outras profissões, pois se ser ‘Doutor’ é significado de status e grandiosidade nesta sociedade, por desempenhar o papel de salva vidas, que fique claro, que somente existe Doutores porque existiram ‘Professores’ ou no antigo e esquecido costume de reconhece-los como verdadeiros ‘Mestres’, o qual tem um papel Muito importante na sociedade, que é transmitir o ‘Conhecimento’, ‘pois conhecimento é Poder’!

    ‘Atual sociedade de conhecimento, tem é nenhum’

    #Me desculpe qualquer erro de português, mas ainda assim, não diminui a importância e o significado de minhas palavras#

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s